Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - A Exoração do Postremo: Um Fogo - XIV

Um Fogo.jpg

   XIV

 

"UM FOGO”

 

Sinto frio,

À noite,

No meu quarto.

Vejo-me perdido na confusão da vida.

Olho a tristeza,

Fico triste,

Parto.

 

Parto à procura de ti,

Que és o rastilho,

Que me acende o fogo, que procuro,

Para que a minha alma se incendeie,

Para que na vida haja futuro,

Para que o meu coração possa sentir,

Amar, viver e ser feliz

Como sempre desejei e sempre quis.

 

Parto!

Parto à procura desse fogo,

Dessa chama que alcança a alma irmã.

Um fogo que não queima,

Que não mata,

Um fogo que não é desolador,

Um fogo que apaga a própria dor.

 

Parto em busca de um amor

Que não tem fim,

Nem passado,

Nem futuro,

Nem presente.

Ele que vem de um fogo,

Assim, somente,

Que ardendo em mim,

Jamais me queima.

Um fogo onde aqueço coração e mente,

Um fogo que nasce, vive

E dura eternamente!

 

Gil Saraiva

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub