Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Díscolas de Runim Iaiá: Fadista - XV

Fadista.jpg

     XV

 

"FADISTA"

 

Fadista, amigo, o teu cantar não mente.

Tu cantas o destino, triste fado

Do povo, desta terra, desta gente

De coração doente e confinado.

 

Tu cantas um cantar tão confidente,

Que parece ser voz do acamado,

De quem no hospital está doente

Julgando o vírus paga de um pecado.

 

Só tu sentes a dor, a emoção,

Esse sofrer de quem já não tem pão.

Só tu sabes que a vida é um cantar

 

Que nesta pandemia não sorri,

Porque o vírus não sabe entoar,

Neste mundo, sequer um dó-ré-mi.

 

Ariana Telles

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub