Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Díscolas de Runim Iaiá: Miúdo - XVII

Miúdo.jpg

  XVII

 

"MIÚDO"

 

Tão sozinho, descalço, descontente,

Com meros farrapos tristes, anda

Miúdo honesto, lindo, inocente,

Um senhor na rua, que comanda.

 

Ele aprende a fugir de banda em banda

E de pedra na mão é um valente.

Só tem é medo de ficar doente,

Que doença na rua não abranda.

 

Mas, tivesse ele tido pais p’ra amar,

Um bom filho seria esse garoto.

Assim… só, pelas ruas, ao luar,

 

Entre uma escarradela e um arroto,

Sem sequer ter família, casa ou lar

Um pobre órfão descalço foge roto!

 

Ariana Telles

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub