Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Díscolas de Runim Iaiá: Jamais - XXII

Jamais.jpg

  XXII

 

"JAMAIS"

 

Não! Jamais! Nunca eu vou poder olhar

Esses teus olhos raros de cristal

Que devagar, cristalizando o mal,

Só buscam o prazer em se vingar!

 

Não! Jamais os teus lábios vou beijar,

Porque te sinto frio, glacial,

Completamente hermético e fatal,

Apenas me tentando magoar!

 

Tu olhas p’la janela e nada vês.

Pensas em amar só por seres amado.

Tens as perguntas, não tens os porquês.

 

Só procuras viver e saciado

Só fazes o que alguém também já fez;

Só queres esperar, por seres esperado!

 

Ariana Telles

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub