Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Díscolas de Runim Iaiá: Perdi de Vista - XXXVII

Perdi de Vista.jpg

     XXXVII

 

"PERDI DE VISTA"

 

Vivi eu tanto tempo em companhia

Desse teu amor meigo, majestoso,

Desse teu lindo ser, tão poderoso.

Juntos, feitos canção ou melodia.

 

Vivi eu tanto tempo em harmonia,

A teu lado feliz, um ser vaidoso,

Sem saber como era doloroso

O amor perder, enquanto me perdia.

 

Perdi de vista o teu olhar celeste,

Que em minha atmosfera repousava,

Na terra onde eu antes habitava.

 

Perdi de vista tudo que me deste.

Não me verás chorar. Eu juro aos céus.

Porque partiste sem dizer adeus?

 

Ariana Telles

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub