Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Díscolas de Runim Iaiá: Oiço... - XXXIX

Oiço.jpg

XXXIX

 

"OIÇO…"

 

Oiço dizer que a morte é coisa horrível,

Do pior que nos pode acontecer...

Oiço também que a sida é inflexível,

Que quem a tem já sabe o que é morrer...

 

Oiço falar da guerra, irredutível,

Que jovens aos milhares faz perecer...

Oiço ainda que a fome, indiscritível,

É capaz de matar quem quer viver...

 

Oiço e volto a ouvir, já nem tem conta,

E não entendo a fundo a gravidade,

O que talvez até seja uma afronta.

 

Mas como poderei eu ter piedade

Se, para mim, é bem maior a dor

Que oiço pra aí dizer, chamar de amor?

 

Ariana Telles

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub