Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Divagações Quase Líricas - O Jogo - IV

O Jogo.jpg

    IV


“O JOGO”

 

No retângulo verde de um estádio
O sibilar de um apito faz-se ouvir,
Dá a volta ao mundo,
Por satélite,
Nas ondas do éter de uma rádio,
Em páginas de internet sem ter fim…

O jogo, seja ele qual for, é emoção
Para quem veste a camisola das equipas.
Chamam-lhe futebol,
Desporto rei,
Imitam-no os catraios pelas ruas,
Tem regras,
Árbitros e lei,
Não tem raça, não tem credo,
Nem tem filosofia.

São os novos gladiadores do nosso mundo,
Num circo máximo sem Roma,
Nem romanos,
Representam terras, vilas e cidades,
Nações, povos, países, continentes,
Fazem girar milhões na economia,
E nascer, nos adeptos,
Tristeza ou alegria.

O jogo existe para que o povo vibre,
Esquecendo impostos,
Taxas, fome, stress e agonia,
Esquecendo a luta árdua
E crua do trabalho,
Esquecendo doenças,
Mortes e injustiças.
O jogo é mesmo assim, mas afinal,
Qual vício que nos consome o ser,
Nem damos conta de que o jogo
É apenas um jogo e nada mais.

 

Gil Saraiva

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub