Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Divagações Quase Líricas - Filho do Vento - VIII

Filho do Vento.jpg

         VIII

 

"FILHO DO VENTO"
(letras para baladas nossas)

 

Eu sou um filho do vento,
Filho de um deus menor,
Mas guardo no pensamento
Uma alma bem maior...

Uma alma bem maior,
Dentro de mim caladinha,
Lágrima de meu suor,
Mais pura áurea que a minha...

Se, no meu triste sentir,
Essa alma for um bónus,
Espero não ver surgir
Um dia os cornos de Cronos...

Eu sou um filho do vento,
Filho de um deus menor,
Mas guardo no pensamento
Uma alma bem maior...

Se eu sou um filho do tempo,
Se de Cronos sou nascido,
Mais seria um contratempo
De por ele eu ser traido...

E guardo no pensamento
Uma alma bem maior...
Eu sou um filho do vento...
Filho de um deus menor!

 

Gil Saraiva

 

Nota: Letra para a Banda de garagem “Rock Spot Alive” (anos 80).

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub