Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Eco dos Sentidos: Acho Que Morri... - I

Acho Que Morri.jpg

                 I

 

"ACHO QUE MORRI..."

 

Para que servem meus olhos

Se não te vejo no horizonte...

 

Minhas mãos perderam-se

Pois não sinto a tua derme

Entre meus dedos...

 

E paladar pra quê?

Se o teu gosto perdi

Nos confins

De uma amazónica saudade...

 

Seria talvez melhor

Ter nascido surdo

Eu que não mais escutei

A doce melodia dessa tua voz...

 

De que me serve sentir

O odor das flores

Se já não cheiro mais

A infinita loucura

Do teu ser...

 

Acho que morri!

Mas se morri...

Como posso pensar

Ainda em ti? Obrigado…

 

Gil Saraiva

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub