Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Estrigas do Dilúculo dos Lamentos: Dolorosa Dor - XVI

Dolorosa Dor.jpg

           XVI

 

“DOLOROSA DOR”

 

Dorida dor no coração talhada;

Ah! Lenta e melancólica tortura,

Vem levemente... calma... com ternura...

Esculpir em mim a chaga ensanguentada...

 

Criando, como se não fosse nada,

Um pessimismo... mágoa, dor, loucura,

Um desejo profundo de rotura,

Com uma vida há muito já passada...

 

Ah, dolorosa dor de mim saída,

Piranha só, de uma ilha tropical,

Borrão numa paisagem bem garrida,

 

Ruína de um castelo antes feudal,

És tu quem mancha toda a minha vida,

Ruína do meu próprio pedestal!...

 

Gil Saraiva

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub