Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Estrigas do Dilúculo dos Lamentos: Pescador - XXII

Pescador.jpg

    XXII

 

"PESCADOR"

 

Ele que lutou p'la vida em seu batel,

Pescando bacalhau nos mares do Norte,

Nessas águas repletas só de fel,

Cabeça erguida ao mar, possante, forte,

 

Morreu, como soldado de papel,

Na guerra; o pescador de rude porte...

E em Salvador, Polónia ou Israel

Nasceu repleto o dia para a morte...

 

E em palavras finais de moribundo

Com desprezo p'la vida que levou,

Como uma despedida deste mundo,

 

Mesmo antes de morrer ele falou:

- Eu, que por cá venci os elementos,

Morro, p’las mãos dos homens, em tormentos!

 

Gil Saraiva

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Meus Blogs: Crónicas. Poesia, Humor, Beijos

Músicas que adoro

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub