Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Estrigas do Dilúculo dos Lamentos: Senhor da Bruma - XXXIX

Senhor da Bruma.jpg

        XXXIX

 

"SENHOR DA BRUMA"

 

O chegar do crepúsculo anuncia

Que a noite já vem perto... está chegando...

Vem p'ra ficar, assim, perpetuando

As leis do espaço entre a noite e o dia...

 

A bruma desce o morro onde dormia,

E agora, que a luz vai silenciando,

Vampiros e morcegos, todo o bando,

Despertam os sussurros da magia...

 

Cerrado o nevoeiro lembra espuma,

Dilui as formas, esbatendo a cor;

Pálida, a Lua, perde forma alguma,

 

Mas forças tem pra me chamar: "- Senhor,

Chegou tétrica a noite em negra pluma,

Desperte uma vez mais Senhor da Bruma!"

 

Gil Saraiva

 

 

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Meus Blogs: Crónicas. Poesia, Humor, Beijos

Músicas que adoro

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub