Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Sintra-me: XI - Bolero

Bolero.jpg

     XI

 

"BOLERO"

 

Mais uma vez aquele bolero tocava

Ondas de espuma... crinas de corcel...

Aguarelas pintadas sem pincel...

Ondas de noite... sexo... sons de lava...

 

Mais uma vez aquele bolero soava,

Como suavam corpos num hotel...

No ar crescia o sonho de Ravel

Que aquele maestro irado interpretava...

 

Mais uma vez ali... ouvi bolero,

Acompanhando este meu louco beijo

E modelando, em mim, em meu desejo

 

Um grito ardente: "- Amor, como te quero..."

Mais uma vez meu coração bateu

Tocou bolero, amor, perto do teu...

 

Gil Saraiva

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub