Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Quimeras de Quimera: II Estéril

Estéril.jpg

"ESTÉRIL"

 

Ali! Reparai nela, ó Salvador,

Ali, naquela casa, nesse canto,

Coberta daquele feio, negro manto,

Pertinho da lareira, num torpor...

 

Ali está ela... oh! Vede-a Senhor,

Tão jovem... tem na face o triste pranto

Escondendo-lhe a beleza e o encanto,

Descobrindo-lhe as rugas de temor!...

 

Essas marcas fatais de vil tormento,

De espera vã... de eterno sofrimento,

Num rosto por si só, superior arte.

 

Ó Senhor... do Divino Vosso Brilho,

Dai à pobre mulher ínfima parte,

Fazei com que o seu ventre gere um filho!

 

Gil Saraiva

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub