Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Sintra-me : XXIV - Vermelha Tempestade

Vermelha Tempestade.jpg

              XXIV

 

"VERMELHA TEMPESTADE"

 

Querer... já diz quem sabe que é poder;

Poder... já diz quem tem que é divinal,

Divino... diz quem sente que, afinal,

Amar é mais profundo... e mais que ter

 

Qualquer uma outra força pra viver...

Amar... um todo é!... Fundamental...

Amar - A luz mais forte: Capital

De quem pode o caminho escolher!...

 

Querer... poder... viver... oh! Mas amar...

Nada é tão forte, quanta intensidade:

É como sentir vermelha tempestade

 

Nos invadindo a alma e o olhar;

É como ter na mão o infinito;

É querer, poder… viver, em um só grito!

 

Gil Saraiva

Livro de Poesia: Portaló - Parte I - Paisagens - III - Chegada à Bahia da Paixão

Chegada à Bahia da Paixão.JPG

                          III

 

“CHEGADA À BAHIA DA PAIXÃO”

 

Quem não queria poder

Ver mais além?

Partilhar um momento com alguém

Na chegada à Bahia,

Que encantada,

Nos recebe, ao aterrarmos,

Agradada,

Porque lhe sorrimos nós também…

 

Se olhar a Bahia,

Nessa altura,

Entre beijos trocados

Com candura,

Lá do ar,

Nas nuvens de algodão,

Nos faz tremer,

E mais, sonhar

Com a proeza agora iniciada…

Também sorrimos

Com o coração,

Porque ao descermos vamos encontrar

Um outro bem,

Um cristalino estro,

Que inspira mais do maestro,

De quem chega sabendo áquilo que vem…

 

Nada do que sentimos é em vão,

Tudo em nós fica, se retém,

Porque tudo traduz nossa paixão!

 

Gil Saraiva

 

* Parte I - Paisagens ou o Sortilégio da Paixão

Livro de Poesia: Achas de um Vagabundo - Vagabundo das Sombras

Vagabundo das Sombras.jpg

"Vagabundo das Sombras"

 

Vagabundo das sombras,

Dos Limbos,

Haragano, O Etéreo,

Perdido em sonhos que não meus,

Senhor da Bruma esquecido

Nos recantos esconsos dos céus...

 

Procuro, procuro no crepúsculo,

Encontrar a arma branca

Que me assassine a saudade

De dias de sorriso

E noites de prazer...

 

Vagabundo Dos Limbos,

Haragano, O Etéreo,

Senhor da Bruma,

Na net perdido entre circuitos

Onde os sentimentos

São palavras sem cheiro

E a caricia não tem o sentir da derme,

Suave, humana, apetecida...

 

Vagabundo de mim

Que não encontro

A cristalina razão

De meu existir...

 

Haragano da net,

Etéreo na viagem,

Crisálida serei

Num casulo chamado internet...

 

Senhor da Bruma,

Soberano oculto que busca, insano,

Um reino chamado de Amor.

 

Gil Saraiva

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Meus Blogs: Crónicas. Poesia, Humor, Beijos

Músicas que adoro

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub