Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - A Exoração do Postremo: O Jovem Que Já Não Sou - XIX (Último)

O Jovem Que Já Não Sou.jpg

              XIX

 

 "O JOVEM QUE JÁ NÃO SOU”

 

Um jovem…

Um jovem escritor chamado eu.

- E escreve de pequenino?

Pergunta Baco a Morfeu.

Dirão os deuses do Olimpo,

Que escrever é arte nobre

E isso de eu ser escritor tem muito que se lhe diga,

E os doutos homens das letras,

Alimentam tal intriga,

Com desprezo pelo pequeno, que, entretanto, envelheceu,

Que pouco sabe da arte,

Que pouco ou nada aprendeu,

Que tenta escrever umas tretas,

Sem ligar aos doutos homens das letras.

 

Porque o jovem não se acanha, a idade é-lhe estranha,

O que vale é evidente, que a alma não tem idade,

Mesmo aos cem… é mocidade.

Escreve o que sente e não sente,

Só à caneta é fiel, que esse ser é… tinta ardente,

Numa folha, no papel, no pensamento da vida,

Nesta quimera esquecida, chamada civilização!

Não há só filosofia, crença ou religião,

Há também a fantasia, do jovem, velho, criança,

Uma semente de azia, num mundo sempre em mudança.

 

Caneta e tinta, papel.

Resignado, suicida,

O jovem velho bem sente que… vai-se acabando a vida…

Escreve uma folha, outra folha,

Poeta ardente, ciente, com tinta, compreensão.

O poeta escreve o fel na folha ardente da vida,

Resignado, suicida, caneta, tinta, papel,

Grava o que sente na ferida!

Não sente os tempos vividos,

Sente o eco dos sentidos!

 

Gil Saraiva

 

 

 

Livro de Poesia - Gota de Lágrima: Ela - II

Ela.jpg

    II

 

"ELA..."

 

Ela

Não podia estar ali...

 

Talvez...

Nos confins do pensamento,

Longe de tudo...

Não de todos!...

Um rosto jovem no sorrir...

 

Um rosto,

Com raios de Sol

Caindo nos ombros,

Em cabelos de um ouro

Que brilha no escuro...

 

O azul do mar

Repousando nas pálpebras,

De uns olhos castanhos

Que brilham também...

 

Um doce poente

Poisado nos lábios,

De uma boca que arde

E cheira a pecado...

 

Um luar de prata

Em seu meigo rosto,

De uma Lua Cheia

Que ilumina a serra...

 

Os traços de Vénus

Moldados num corpo,

Que Gaia quis tão fértil

Como sensual...

 

O entardecer

Descendo no ventre,

Qual crepúsculo

Anunciando a plenitude...

 

O sabor a sal

Colando-lhe as coxas,

Húmidas de ansiedade,

De ante prazer...

 

O toque da seda

Envolvendo os seios,

Tentando esconder

A derme perfeita...

 

O amor perdido

Em seu terno olhar,

Que busca, sedento,

Outro olhar igual...

 

E um ar de oásis

Cobrindo-lhe a pele,

Qual neblina ténue

Desejando Sol...

 

Ela...

Não podia estar ali...

 

Talvez...

Perto de alguém,

Imaginário ninguém,

A quem espera,

Um dia,

Vir a encontrar!...

 

Ela

Não podia estar ali...!

 

Não!...

Não existe tal paisagem,

Pois as quimeras

Nunca são reais!

 

Mas...

Se por força

De acasos impensáveis,

A paisagem

Não for mera miragem...

 

Se o ocaso

Realmente for poente

Que chega ante meus olhos

Suspensos na exceção,

Então... então...

 

Então tudo eu dou

Pela paisagem!...

O que sou,

O que fui

E o que serei,

O que tenho

E o que possa vir a ter...

Tudo!...

 

Porque tudo é pouco

Se puder na paisagem

Meu ser eu colocar...

Num canto,

Ali...

Mas enquadrado...

 

Ela

Não podia estar ali...

 

 Gil Saraiva

Livro de Poesia - Quimeras de Quimera II: Cansada...

Cansada.jpg

"CANSADA"

 

Cansada de viver ali sozinha,

Com tanta gente sempre à sua volta;

Mas se sentindo presa quando à solta

Nesse grito de raiva se continha...

 

Cansada de calar a ladainha,

Daqueles entre quem se sente envolta,

Ela implora o momento da revolta,

Que jamais chega e nunca se adivinha...

 

Tão cansada de mágoas, deceções,

Desgostos e tristezas: podridões...

Tão mortalmente farta, dolorida,

 

Ela que já foi bela, jovem, nova,

Tão descansada está em fria cova

Que não me lembro já se teve vida!...

 

Gil Saraiva

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Meus Blogs: Crónicas. Poesia, Humor, Beijos

Músicas que adoro

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub