Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Estrigas do Dilúculo dos Lamentos: Adeus Mãe - XI

Adeus Mãe.jpg

      XI

 

"ADEUS MÃE"

 

São as chagas de Cristo em cada palma,

Soluços que o meu peito não contém...

Flagelos mais de mil, aqui... além...

São lágrimas de fogo em noite calma!

 

São farrapos dispersos da minha alma,

Que parecem morrer com minha mãe...

Recordações, saudades, sei lá bem...

São como as roxas malhas de uma talma,

 

Quais sombras de mistério... vago fumo...

Folhas seguindo o vento, neste outono

Rolando pelo chão. Um fim de um sono

 

De quem velou por mim e me deu rumo!...

Chora-me o ser... por fim, grita-me a boca

Uns sons, que já não saem da voz rouca.

 

Gil Saraiva

 

 

 

Livro de Poesia - Estrigas do Dilúculo dos Lamentos: Vós - XX

Vós.jpg

 XX

 

"VÓS"

 

Vós ó mulher, amiga ou namorada;

Vós ó vida, na qual existe alguém;

Vós ó beleza, em vós simbolizada;

Vós ó terna menina, meiga mãe;

 

Vós que sois nada mais que um simples nada;

Vós procurais o quê? Procurais quem,

Por entre a multidão, de madrugada?

Que desejais de mim, ó seres do além?

 

Vós sois carnes sedentas de desejo...

Vós sois cardos, nos homens, entrançados...

Vós ó arte pintada em azulejo,

 

Vós ó fonte da vida, dos pecados,

Que mais quereis de mim, neste momento,

Se a vós eu entreguei já meu talento?...

 

Gil Saraiva

 

 

 

Livro de Poesia - Estrigas do Dilúculo dos Lamentos: Adeus Mãe - XI

Adeus Mãe.jpg

       XI

 

"ADEUS MÃE"

 

São as chagas de Cristo em cada palma,

Soluços que o meu peito não contém...

Flagelos mais de mil, aqui... além...

São lágrimas de fogo em noite calma!

 

São farrapos dispersos da minha alma,

Que parecem morrer com minha mãe...

Recordações, saudades, sei lá bem...

São como as roxas malhas de uma talma,

 

Quais sombras de mistério... vago fumo...

Folhas seguindo o vento, neste outono

Rolando pelo chão. Um fim de um sono

 

De quem velou por mim e me deu rumo!...

Chora-me o ser... por fim, grita-me a boca

Uns sons, que já não saem da voz rouca.

 

Gil Saraiva

 

 

 

Livro de Poesia - Gota de Lágrima: Embrião - VII

Embrião.jpg

     VII

 

"EMBRIÃO"

 

"- Já sinto o nosso menino..."

 

Diz a mãe,

Com lágrimas nos olhos

E flores no coração...

 

"- Vem, põe aqui a mão,

Também o sentes?"

 

E o pai envergonhado

Diz que não...

 

O embrião corre pró milagre,

Mais alguns meses

E irá nascer...

 

E os pais perguntam:

"- Quem será ele um dia?"

"- Que missão terá ele

Neste mundo?"

"- O que fará

O nosso querido filho...?"

 

"- Que nome lhe daremos?"

"- Adolfo...?"

"- Lindo..."

Diz o pai...

"- Adolfo... Adolfo Hitler!"

 

Até o mal,

Um dia, teve

De nascer...

E quantas vezes

Ele nasce

Por amor?

 

O que faríamos nós

Se, previamente,

Conseguíssemos saber?...

 

 Gil Saraiva

Livro de Poesia: O Próximo Homem II - Sarajevo (as memórias da guerra - 1992-1995)

Sarajevo.jpg

 

"SARAJEVO"

 

- Mãe ... oh mãe, mãe!?

Tenho fome, mãe...

Mãe... oh mãe, mãe!?

 

Tenho medo, mãe...

 

Mãe, oh mãe, mãe,

Tenho frio mãe...

 

Eu vou morrer, mãe!!!

 

É sempre assim

Dia-a-dia,

Sempre e sempre

E já vai longo o tempo

Em que é sempre assim

Em Sarajevo...

 

Quando irão crescer,

Em esperança,

Estes tão tristes seres

Na idade dos sorrisos?

 

Alguns conseguem

Fugir...

 

Mas quantos ficam pra sempre

Nos despojos da guerra?

 

Até quando ouvirá

O Mundo

E em quantos Sarajevo

Aquele grito de angústia:

 

- Mãe... oh mãe, mãe!...

 

Gil Saraiva

Livro de Poesia - O Próximo Homem II: Hino à Mulher

Hino à Mulher.jpg

I

 

"HINO À MULHER"

 

No mundo existe um ser, quase irreal,

Ao qual foi dado o nome de Mulher...

 

E é tão bonito ouvir dizer Mulher...

 

Mulher

Ou o berço mais perfeito,

Mais subtil,

A fonte de toda a Humanidade,

Aquela luz que brilha

Dia e noite

A todos quantos lhe chamaram

Mãe!

 

E é tão bonito ouvir dizer Mulher...

Mulher,

Nogueira que os anos reduziram

A mobília de luxo, estilizada,

De porte antigo,

Austero e imortal;

Ou em mesa de sala,

Gasta, enegrecida,

Onde outras gerações contam segredos

Aos nós ou aos ouvidos da

Avó...

 

E é tão bonito ouvir dizer Mulher...

 

Mulher

Ou vida que cresceu e que floriu

Sob o olhar da águia e do falcão;

Até que ganhou asas... liberdade;

Até olhar pra trás e num sorriso

Dizer que já foi nossa a nossa

Filha!

 

E é tão bonito ouvir dizer Mulher...

 

Mulher

Ou alma ou coração; tão terno... tão piedoso...

O cofre-forte, o banco da saudade,

A gema cristalina em mais pureza,

O símbolo mais casto da justiça,

O sinónimo exato para um

Anjo!

 

E é tão bonito ouvir dizer Mulher...

 

Mulher

Ou espada reluzente, tão certeira,

Tantas vezes fria que foi neve,

Mordaz, esperta, vingativa,

Uma artimanha feita de truques,

Trevas e tristezas, refletindo no espelho

Lucifer!

 

E é tão bonito ouvir dizer Mulher...

 

Mulher

Ou miragem de outros Tempos neste Tempo;

A gota de água que ao cair deleita

A terra que a recebe saciada;

A estrela mais notável porque bela,

O termo mais correto p’ra

Beleza...

 

E é tão bonito ouvir dizer Mulher...

 

Mulher,

Tambor, apocalipse de emoções,

Ritmo frenético dos homens, o gosto,

Aquele sabor a sal tão doce...

Os dias que nem têm uma hora

Pra quem olha pra ti e grita: "Amor";

Pra quem nasce pra ti e quem, um dia,

Já dentro do teu corpo diz

Mulher!

 

E tu

Simplesmente sorris,

Porque é bonito ouvir dizer

Mulher...

 

No mundo existe um ser quase irreal...

 

Gil Saraiva

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Meus Blogs: Crónicas. Poesia, Humor, Beijos

Músicas que adoro

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub