Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Divagações Quase Líricas - Maminha Camoniana - X

Maminha Camoniana.jpg

               X

 

"MAMINHA CAMONIANA”

 

Ai! Maminha gentil, que me fugiste

Tão cedo, neste hotel, fiquei pendente,

Sem poder levantar, novamente,

O que antes facilmente punha em riste.

 

Sei lá o que te deu e te pôs triste,

A ti e à tua gémea tão ardente,

Se eu algo fiz de errado, um acidente,

Remédio tem de ter. Porque saíste?

 

Jamais, maminha minha, vou perder-te

Sem saber o que foi, porque acabou,

Regressa, por favor, que quero ver-te,

 

A bandeira não mais se hasteou…

Não me deixes assim sem poder ter-te,

Sem ti, e a tua irmã, não sei quem sou.

 

Gil Saraiva

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub