Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estro

Estro do meu ego guarda o que sou: poemas. contos, pensamentos, artes plásticas, fotografias, produtos do meu sentir.

Estro do meu ego guarda o que sou: poemas. contos, pensamentos, artes plásticas, fotografias, produtos do meu sentir.

Livro de Poesia - Devaneios de Estros Imémores - "Nou Jóbe 4 de Bóis" - II

Nou Jóbe 4 de Bóis.jpg

              II

 

"NOU JÓBE 4 DE BÓIS"

 

«Nou jóbe 4 de bóis...»

Pastem caracóis...

Lentamente....

Ah! Valente...

Colhe a rosa no jardim...

 

Há quem diga «qué stratégia»,

Engenharia... ou assim...

Outros dizem: "- Norma régia

Tu queres...

E então pra mim?"

 

«Nou jóbe 4 de bóis...»

Pastem caracóis...

Quatro naipes, um só trunfo,

Um só Arco do Triunfo...

 

«Nou jóbe 4 de bóis...»

Pastem caracóis...

Lentamente....

Ah! Valente...

Colhe a rosa no jardim...

 

Mudam tempos

Vidas, esperanças,

Neste mundo de mudanças

Ninguém quer...

Nada dizem...

Ah! Mas quem cala consente..

Não se engana,

Não se mente,

Que o fruto já deu semente...

Que a semente é flor da vida,

De uma laranja perdida,

Numa rota

Já esquecida...

Faz batota;

É bolota

Ou nogueira envelhecida...

 

«Nou jóbe 4 de bóis...»

Pastem caracóis...

Lentamente....

Ah! Valente...

Colhe a rosa no jardim...

 

«Nou jóbe 4 de bóis...»

Pastem caracóis...

Quatro naipes, um só trunfo,

Um só Arco do Triunfo...

 

Na cozinha cai o tacho,

Logo em cima do capacho

Com desenho de Rabelo...

Pela sopa verde sujo,

Que no tacho fervilhava,

Um molhinho de marujo...

Mas que agora tá no chão

E quantos pra lá: «Irão...»

M & M

É chocolate,

É tenrinho de trincar,

Há azuis,

Há amarelos

e outras cores se calhar...

 

«Nou jóbe 4 de bóis...»

Pastem caracóis...

Lentamente....

Ah! Valente...

Colhe a rosa no jardim...

 

«Nou jóbe 4 de bóis...»

Pastem caracóis...

Quatro naipes, um só trunfo,

Um só Arco do Triunfo...

 

Colunistas deram mote

E agora querem cartas,

Não sem antes porem marcas,

Que o jogo se joga forte...

Há quem diga que é de morte...

Já ninguém aqui tem norte,

Nesta batalha sem fim...

Sopram os ventos do Leste,

Fica o jogo mais agreste...

Quem quiser jogar o «King»

Tem de ter Rei ou Rock,

Para não ficar de fora

E pra que nada lhe toque

Ontem, sempre, hoje e agora...

 

«Nou jóbe 4 de bóis...»

Pastem caracóis...

Lentamente....

Ah! Valente...

Colhe a rosa no jardim...

 

«Nou jóbe 4 de bóis...»

Pastem caracóis...

Quatro naipes, um só trunfo,

Um só Arco do Triunfo...

 

«Nou jóbe 4 de bóis...»

Pastem caracóis...

Lentamente....

Ah! Valente...

Colhe a rosa no jardim...

 

«Nou jóbe 4 de bóis...»

Pastem caracóis...

Quatro naipes, um só trunfo,

Um só Arco do Triunfo...

 

Gil Saraiva

 

Notas: 1) "Nou Jóbe 4 de Bóis" “algarviada” inglesa que significa “Sem cunhas para os rapazes”

          2) Letra para a Banda de garagem “Rock Spot Alive” (anos 80).

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Meus Blogs: Crónicas. Poesia, Humor, Beijos

Músicas que adoro

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D