Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Ântumos Implexos dos Airados: Nunca Mais - V

Nunca Mais.jpg              V

 

"NUNCA MAIS"

 

Se amor é estar feliz

Junto de ti,

Se amor é bem falar

Sem discutir,

Então,

Afirmativamente te perdi

E nada mais,

Nada mais tenho a fazer

Senão partir!

 

Não me esperes!

Não esperes que eu volte,

Que regresse,

Que o teu calor forçado

Não me aquece,

E nunca mais,

Nunca mais amor me chames tu!

Não esperes que regresse

E nunca mais amor me chames tu!

 

Tu és azul que vermelho nunca foi,

Azul que o luto nunca usou,

Azul que jamais quis dizer paz,

Azul que a Terra conquistou,

Azul que a traição aos homens traz

Na frieza inconfundível desse teu amor,

Azul que afirma ser capaz

De tornar um ser azul de tanta dor!

 

Não me esperes!

Não esperes que eu volte,

Que regresse,

Que o teu calor forçado

Não me aquece,

E nunca mais,

Nunca mais amor me chames tu!

Não esperes que regresse

E nunca mais amor me chames tu!

 

Gil Saraiva

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub