Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia: Serra da Lua: Eterna Rocha - I

Eterna Rocha.jpg

           I

 

“ETERNA ROCHA”

 

A flor do jardim olhou para mim...

Eu,

Um Vagabundo Dos Limbos,

Da net;

Senhor da Bruma,

Da noite;

Haragano, O Etéreo...

Lenda urbana de quem nunca

Ninguém ouviu falar...

 

Passava perto,

A caminho da vida,

E a flor do jardim olhou para mim...

 

As pétalas penteadas pela brisa,

O tronco hirto e firme pela certeza,

As folhas como braços abertos

Em minha direção...

 

"- É contigo que eu quero partilhar

A minha essência...

Aqui,

Numa cama de pétalas,

Sob um céu de luar...

 

Vem!

Terás contigo o perfume da noite,

O sorriso das estrelas,

A plácida tranquilidade da Serra

Perante a eterna vigília da Lua...

 

Vem!

Ocupa o meu jardim,

Sê meu Senhor,

O Senhor da Serra da Lua,

Dono do meu amar,

Do meu amor…

 

Vem.

Sou toda tua..."

 

Olhei a flor do jardim...

Ainda suspirava na ânsia da resposta...

 

Olhei de novo a flor,

Ali,

Ao sol exposta,

Branca e pura como a pura neve,

Silvestre e livre como a liberdade,

Doce e bela como a natureza...

 

Sorri...

Oh como eu sorri...

Sorri de orgulho daquele olhar florido

Em mim poisado,

De vaidade infinita por me sentir

O desejo profundo de uma flor

Que de mim espera um devir…

E respondi:

 

"- Flor,

Eu sou um Vagabundo Dos Limbos,

Da net;

Senhor da Bruma,

Da noite;

Haragano, O Etéreo,

Lenda urbana de quem nunca

Ninguém ouviu falar,

Buscava perdido o caminho da vida,

Em confusão, e, afinal

Tudo é tão mais simples...

 

Serei teu e serás minha

Se o orvalho da madrugada

Eu puder ser em tua sede,

Alimentando-te a raiz e o existir...

 

Serei, enfim,

O solo onde te firmas,

Servo da terra onde és jardim...

 

Não te quero eu perder,

Dá-me o teu etéreo existir

Na eternidade,

Transmuta-me na Serra da Lua...

 

Que a minha voz seja agora

A do vento que sopra de Ocidente,

A saliva

O mar

Que desagua no meu corpo

E meus passos as pegadas do futuro

Que um qualquer dinossauro

Marcou na eterna rocha..."

 

Gil Saraiva

Pegadas Eterna Rocha.jpg

 

Livro de Poesia - Gota de Lágrima: Alguém - III

Gil 2013.jpg

    III

 

"ALGUÉM"

 

Vagabundo Dos Limbos...

Haragano, O Etéreo...

Senhor da Bruma...

Uma jangada de palavras

Que flutuam pela internet

Sem um rumo certo...

 

Sou

Aquilo que sempre fui:

Um sonhador!...

 

Sinto todas as lágrimas

Que choro em gotas de bits

E cascatas de bytes

Sem destino...

 

Sou

Um Vagabundo Dos Limbos...

Sou

O Haragano, o Etéreo...

Porque sou o Senhor da Bruma!

 

Que mais posso almejar

Do reino das palavras?

Quero a verdade!

E isso é muito?

 

Rindo de mim mesmo

Vou ficando...

Quem fala verdade

A um haragano?

 

Quem, na jangada,

Tem rumo, destino?

 

Para que eu possa amar,

Mulher, só quero uma...

Quem se poderá fundir

Ao Senhor da Bruma?

Haverá quem?

Ah!...

Tem de haver alguém!...

 

Gil Saraiva

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub