Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Brumas da Memória: As Vozes

Vozes.jpg

 

"AS VOZES"

 

No austero silêncio

Da internet

A comunicação é infinita,

De todos

Para todos,

Tal como o infinito

Que nada mais é

Que tudo

Para tudo...

 

Neste novo Éter

Nascem ideias e projetos,

Negócios e amores,

Crimes e violações,

Qual cópia da vida que vivemos…

 

Por uma rede

Universalmente livre,

Que não se calem, nunca,

As vozes do futuro:

 

As nossas vozes!

 

Nascemos selvagens

E livres

Para a internet...

 

Sem regras,

Sem normas,

Sem segurança,

Com garra, com ganas de saber...

 

Agora, na ânsia do lucro,

Os vampiros do capital

Procuram o comando…

Os Estados, a par com esta gente,

Tentam impor regras neste mundo global

Que nasceu nosso,

Porque foi feito por nós

E para nós!...

 

Por todos os meios tentam controlar

A plataforma mais livre do planeta.

Falam de perigos infindáveis e maliciosos.

É verdade.

A internet tem muito de mau,

Mas, como a vida,

São os riscos da liberdade…

Por uma rede

Universalmente livre,

Que não se calem

Nunca

As vozes do futuro:

 

As nossas vozes!

 

Gil Saraiva

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Meus Blogs: Crónicas. Poesia, Humor, Beijos

Músicas que adoro

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub