Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia - Os Anexins de um Vate Sólito: Teus Olhos Nunca Choram - XXI

Teus Olhos Nunca Choram.jpg                             XXI

 

"TEUS OLHOS NUNCA CHORAM"

 

A luz fraca da chama de uma vela

Não reflete, em mim, o teu amor.

Porém, a minha tão intensa dor,

Tal como um vulcão, brilha, revela

 

Que não passo de um preso, sem ter cela,

Um cativo encantado pela flor,

Porque a meus olhos tens tu mais fulgor

Do que a mais perfeita, linda, bela,

 

Que um jardim possa ter, por entre tudo.

Porque foges de mim, qual tartaruga

Que a carapaça usa, antes da fuga,

 

Como um abrigo usado como escudo?

Por meu amor teus olhos nunca choram,

Nem essas tuas faces, por mim, coram!

 

Gil Saraiva

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub