Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estro

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Estro do meu ego guarda a minha poesia, sem preocupações de forma ou conteúdo, apenas narrativas do que me constitui...

Livro de Poesia: Portaló - Parte I - Paisagens - VII - Tinharé

Tinharé.JPG

 

     VII

 

“TINHARÉ”

 

Tinharé

Se desvenda e redescobre,

Do homónimo arquipélago

Se destaca,

Impõe naturalmente um porte nobre,

No vestir rico da verde casaca,

Feita de Mata Atlântica em frescura…

Tinharé é terra, é ilha pura…

Qual esmeralda brilhando

Entre ametistas,

Tinharé deslumbra pelas vistas…

 

Verdejante de vida

E de natura,

Parece esquecer a amargura

Dos dias que pareciam sem saída

Nos tempos velhos da escravatura…

Em plena Mata Atlântica

Sitiada,

A ilha parece quase desenhada

Para, sendo deslumbrante

E desejada,

Se tornar doravante,

De improviso,

No último sonhado paraíso…

 

Aqui chegámos, finalmente,

Tu e eu, ambos, nós os dois,

Um par alado na paixão

Que, ardentemente,

Nos funde, num antes e depois,

Num ritmo que vem do coração,

Num já, num mais agora

E amanhã,

Tudo somado como num aviso,

De ter chegado a hora,

A esperança sã,

Do amor estar a viver no paraíso!

 

Gil Saraiva

 

* Parte I - Paisagens ou o Sortilégio da Paixão

Livro de Poesia: Portaló - Parte I - Paisagens - V - Rumo ao Mar

Rumo ao Mar.JPG

               V

 

“RUMO AO MAR”

 

Do céu tudo fomos

Mirando,

São Salvador, a baía e umas ilhas,

Que lá no horizonte

Se focando,

Pareciam estar a muitas milhas…

Uns pontos verdes no mar

E na paisagem

Frente à baía,

Quase uma miragem,

Como gotas puras,

Meigas, generosas,

Quais gemas saindo preciosas

Do Atlântico

Que lhes presta vassalagem…

 

Por fim,

As mornas chuvas tropicais

Iam, passo a passo, lavando,

Nas ilhas,

O verde e o ouro naturais

Em instantes, minutos,

Já limpando

Os tons de jade puro e de cristais…

 

E enquanto o avião descia,

Em curva,

Sorrindo às nossas mãos

Entrelaçadas,

Ainda eu sentindo a vista turva

Beijava as tuas faces,

Pela luz, rosadas.

 

Descemos ao solo

Sem ravinas,

Rapidamente

O aeroporto se perdeu,

Pelas estradas brilhando,

Genuínas,

Lavadas pela chuva,

Que choveu…

Seguimos rumo ao mar

Só tu e eu

Nem enlace perfeito de encantar…

 

Gil Saraiva

 

* Parte I - Paisagens ou o Sortilégio da Paixão

Livro de Poesia - Quimeras de Quimera II: Tu e Eu

Tu e Eu.jpg

"TU E EU"

 

Unidos, tu e eu, por nosso amor,

Por esse doce amor que em nós nasceu,

E, muito superior ao de Romeu

Ou ao da bela dama Leonor;

 

Amor mais forte que o Adamastor...

E que ninguém se atreva, nem Morfeu,

Nem Júpiter, nem Vénus, nem Orfeu,

A tentar pôr fim ao seu vigor.

 

Tu e eu, no amor que nos juntou,

No amor que jamais nos separou,

Os deuses venceremos, pois, unidos:

 

Somos mais fortes do que o forte Marte,

Mais amorosos do que mil Cupidos,

Mais belos e perfeitos do que a Arte!

 

Gil Saraiva

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub